Caminhos Singelos | Capítulo 16

Marina não suportara a noticia da morte de seu marido.

Marina – É mentira, não é? Diz que é, por favor!

Creusa – Infelizmente não é, minha filha. O velório já até aconteceu.

Marina – Não pode ser, por que logo comigo? A gente tava tão feliz!

Creusa – Essas coisas acontecem.

Marina – Acontecem? Acidentes domésticos acontecem, gravidezes acontecem, momentos acontecem, mas morte? Como você consegue agir com tanta naturalidade?

Creusa – A vida me ensinou a ser forte.

Marina – Não, mãe, a vida endureceu seu coração. Onde está a Andressa?

Creusa – Sua irmã não está aqui.

Marina – Claro que está. Quando eu acordei a vi.

Creusa – Foi engano, você tava dopada ainda.

Marina – Eu não to louca, chama minha irmã, ela é minha melhor amiga.

Creusa – Quando ela se lembrar de você, ela te visita.

Marina – Liga pra ela, eu preciso dela.

Creusa – Eu só vou fazer isso por… por que…

Marina – O que tá acontecendo? Parece até que brigaram nesse meio tempo.

Creusa – É melhor ela te explicar.

 

O celular de Andressa tocou, ela temeu que fosse Carolina, mas para sua surpresa era sua mãe.

Creusa – Não fale nada, não me responda. Isto não é uma conversa! Sua irmã já sabe da morte do Pedro e precisa do seu apoio no hospital. Estou saindo daqui a cinco minutos, cronometre sua chegada para não se aproximar de mim.

E a linha caiu. Andressa se sentiu humilhada.

 

Andressa entrou no quarto abraçou a irmã e sentiu as lágrimas quentes caindo-lhe no ombro nu.

Andressa – Eu sinto muito, irmã.

Marina – Eu preciso tanto de você, preciso tanto dele.

Andressa – Você vai achar outra pessoa.

Marina – Mas é ele que eu amo!

Andressa – Eu sinto muito, muito mesmo.

E as duas permaneceram abraçadas.

 

Pedro de repente sentira um dor no seu interior. Como uma facada que só sentira no hospital.

Pedro – Ai, ai.

Betânia – Filho, está bem?

Pedro – Não. Ai!

Miguel – É Marina. Ela descobriu que ele está morto.

Pedro – Eu preciso vê-la. Por favor!

Miguel – Não, ainda não.

O corpo de Miguel se fez em uma luz e ele sumiu.

Pedro – Droga!

 

Clarisse e Marcelo se beijavam descontroladamente, encostados à parede até que ouviram passos.

Clarisse – Para, para! Tem alguém chegando.

Marcelo deu uma espiadela e era Carolina.

Marcelo – É a sua irmã.

Clarisse – Meu Deus, eu to toda descabelada.

Marcelo – É só dar uma ajeitadinha aqui e pronto.

Então Clarisse saiu de lá como se nada tivesse acontecido.

Clarisse – Carol, olha o seu estado.

Carolina – Foi uma delinquente, ladra de namorados.

Clarisse – Quem?

A porta do quarto ao lado se abriu e Andressa saiu de lá.

Carolina – Ela!

Andressa – Carolina? O que aconteceu com seu rosto?

Carolina – Vagabunda, você me paga! Mana, tá escuro?

Clarisse – O que?

Carolina Meu rosto.

Clarisse – Não, só tá vermelho.

Carolina – Eu vou te matar!

Clarisse – Não se rebaixe, irmã. Vamos ao toalete.

Andressa simplesmente riu.

Thiago estava sendo liberado do hospital e a família toda já estava voltando para João Pessoa. Eles entraram no carro com um Thiago de perna engessada e muletas. Horas depois já estavam em Jampa.

Alcione – Seu Thiago, o que aconteceu?

Thiago – Eu sofri um pequeno acidente em Recife. Nada demais.

Alcione – Em Recife? Ah!

Clarisse olhou para ela e fez sinal para ir a cozinha.

Clarisse Eu vou beber um pouco de água.

As duas finalmente se encontraram na cozinha.

Alcione – Mentirosa, eu vou contar tudo agora para ele.

 

Marina já se sentia bem melhor e pela primeira vez em dias iria andar novamente, Andressa lhe ajudava a descer da cama.

Marina – É tão bom ficar de pé!

Andressa – Será que você ainda sabe andar?

Marina – Acho que sim.

Então Andressa soltou-a e Marina saiu caminhando pelo quarto.

 

As duas finalmente se encontraram na cozinha.

Alcione – Mentirosa, eu vou contar tudo agora para ele.

Clarisse – Não exagera, vermicida. Ele tava numa das escalas do voo quando sofreu acidente.

Alcione – É mesmo? Vou perguntar…

Clarisse – Pode ir, quem não deve não teme.

Alcione – E tem mais, seu pai nojento ficou vindo pra cima de mim enquanto vocês tava fora.

Clarisse – O que eu tenho a ver com isso?

Alcione – Quero que dê uma surra nele.

Obrigado pelo comentário! Volte sempre! =)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s