Medo da Verdade | Capítulo 11 [PENÚLTIMO CAPÍTULO]

Medo da Verdade

INT. COPACABANA PALACE/SALÃO DE FESTAS – NOITE

ESTELA e MÁRCIO foram ao um lugar ao canto do salão onde ninguém os notava e parou.

ESTELA(GRITANDO E BATENDO EM MÁRCIO):
Seu desgraçado, você acabou com a minha vida!
MÁRCIO:
ESTELA, por que você tá fazendo isso?
ESTELA (CHORANDO):
Por que eu… eu me casei com o ROMANO.
MÁRCIO:
O quê?
ESTELA:
Nós casamos. Você está vendo o  Nicolas ali perto ao bolo conversando com o seu filho? Ele é filho do Romano e teve que perder o pai com apenas quinze anos, na adolescência, quando ele precisou de um exemplo masculino!
MÁRCIO:
Que exemplo? De um mafioso que mata a todos que cruzam seu caminho!
ESTELA:
Ele largou tudo, melhor, nós largamos tudo antes do Nick nascer. Romano tinha tanto dinheiro que dava pra passar o resto da vida sem trabalhar.
MÁRCIO:
ESTELA, eu não… eu não sabia!
ESTELA:
E agora? Como você espera que eu volte pra você?
MÁRCIO:
Eu te amo, me perdoa, por favor.
ESTELA:
Tarde demais. Eu vou me sentar.

ESTELA vira de costas, MÁRCIO começa a falar, ESTELA para no momento em que houve a voz dele.

MÁRCIO:
Você só esqueceu de um detalhe. Das inúmeras famílias que você destruiu sem sequer olhar para trás. Quantos homens você matou, ESTELA? Dez? Cem? Mas mesmo assim a vida de deu uma chance para você se redimir e agora você está se mostrando egoísta comigo. A questão é que você tem medo! Medo da Verdade! 

ESTELA não respondera, sequer olhara para traz. Apenas seguiu seu caminho.

CORTA PARA:

INT. COPACABANA PALACE/SALÃO DE FESTAS – NOITE

ESTELA sentara-se a mesa e respirara fundo para não desabar naquele momento.

HELENA:
Mamãe, a senhora tá bem?
ESTELA:
Estou sim, querida. Estou!
HELENA:
Então bem, eu e o Marcos vamos dançar.
ESTELA:
Vá querida, divirta-se.

HELENA saíra com o marido. VINICIUS fora brincar com um amiguinho e apenas RENATO continuara lá, mas logo saíra. 

RENATO:
ESTELA, vou pegar uma bebida. Você quer algo?
ESTELA:
Não, RENATO, eu estou satisfeita.

Fora só RENATO levantar e sair que ESTELA desatou em lágrimas. Ela lembrava das palavras de MÁRCIO. “(…) a vida de deu uma chance para você se redimir e agora você está se mostrando egoísta comigo (…)” era tudo muito nítido na mente dela. “A questão é que você tem medo! Medo da Verdade!” cada palavra soava como uma estaca no seu corpo.

Ela tivera uma lembrança:

INT. BANHEIRO DO QUARTO DE MÁRCIO – DIA

MÁRCIO encontrara ESTELA tomando banho completamente nua e parou. Permanceu olhando-a até que ela virara o ângulo do olhar e o vira.

ESTELA:
MÁRCIO?
MÁRCIO:
Me desculpe, eu não sabia que você estava aqui, mas ouvi o barulho da água e… e…

ESTELA estava saindo do box e caminhando vagarosamente em direção a ele.

ESTELA:
Eu não sei se isto é certo, mas eu não consigo lutar contra essa força.

Ela pusera a mão ao redor do pescoço de MÁRCIO, seu corpo molhado encostava nos abdomen seminu dele e entre um beijo e outro MÁRCIO tirava o resto da roupa. Minutos depois já estavam no quarto, deitados na cama.

INT. COPACABANA PALACE/SALÃO DE FESTAS – NOITE

À medida que os detalhes surgia na sua mente mais lágrimas escorriam de seu rosto. Ela enxugara-as com um lenço e fora atrás de MÁRCIO, mas não o encontrara então resolvera perguntar a THEODORO.

ESTELA:
THEODORO, onde está seu pai?
THEODORO:
Ele passou aqui e disse que ia tomar um ar lá fora.
ESTELA:
Obrigada.
THEODORO:
Espere aí, o que a senhora…

Mas ESTELA já se encontrava longe demais.

EXT. COPACABANA PALACE – NOITE

Na portaria, ela vira MÁRCIO entrando em um táxi a alguns metros dela.

ESTELA (GRITANDO):
MÁRCIO! MÁRCIO!

Ele não estava escutando. O barulho o vento sobrepujara sua voz.

ESTELA (PARA O MANOBRISTA):
Chame um táxi para mim, pelo amor de Deus!
MANOBRISTA:
Sim, senhora.

O MANOBRISTA chamou um táxi e ESTELA entrou nele.

INT. TÁXI – NOITE

ESTELA acomodara-se no banco e deu as coordenadas ao motorista.

ESTELA:
Siga aquele táxi!
MOTORISTA:
Qual?
ESTELA:
Aquele, que está saindo agora!
MOTORISTA:
Pode deixar!

O táxi de ESTELA estava na cola do de MÁRCIO. ESTELA percebera que MÁRCIO estava indo em direção a uma praia. Quando o carro dele parou ela mandou o motorista parar também, então ela desceu do carro.

EXT. PRAIA DE COPACABANA – NOITE

MÁRCIO caminhava em direção ao mar, em dado ponto ele caiu de joelhos na areia. ESTELA se aproximou dele.

ESTELA:
MÁRCIO, meu amor, eu te perdoo!

Ele não falou nada. ESTELA pôs a mão no ombro dele. Mas ele sequer reagira.

ESTELA (DESESPERADA):
MÁRCIO? MÁRCIO? Fala comigo!

Quando ela viu que algo muito estranho acontecia com ele, gritou por socorro.

ESTELA (GRITANDO):
SOCORRO! MÁRCIO, fala comigo!

CORTA PARA:


Obrigado pelo comentário! Volte sempre! =)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s