Ísis Valverde e Camila Morgado estrelam beijo gay em “O Canto da Sereia”

Sereia

“O Canto da Sereia” ainda nem estreou e já tem polêmica rondando a produção. Trata-se da Sereia, personagem vivida por Ísis Valverde, que tem vários romances, incluindo um com a sua empresária, a Mara, interpretada por Camila Morgado. 

Durante uma festa, as duas começam um jogo sensual e a pegação rola solta e elas ainda dão uma beijoca, mas bem na hora do beijo um homem passa na frente da câmera, porém esta cena também foi gravada sem o “intruso” e a Rede Globo ainda não revelou qual das cenas irá ao ar. 

Não há nenhum impedimento para a cena ir ao ar, devido o horário de exibição, que deve girar em torno das onze da noite. 

Assista ao trailer da microssérie com cenas do beijo:

João Paulo Alves

“A Sereia é livre de várias formas, inclusive sexual” revela Ísis Valverde

Nesta terça-feira (11) a equipe da série “O Canto da Sereia” apresentou a minissérie a imprensa. No evento, compareceram nomes como Ísis Valverde, que vive a protagonista Sereia, Gabriel Braga Nunes, interprete de Paulinho de Jesus – o produtor musical da Sereia -, a atriz Camila Mormago, que dá vida à empresária da rainha do axé entre outros. 

Durante a coletiva, a protagonista disparou: “É um dos personagens mais complexos com que lidei, em uma cena precisava passar por varias emoções” e completou “A Sereia é livre de várias formas, inclusive sexual”. Esta última declaração deixa subentendido que a Sereia pode ter relacionamentos homossexuais, para responder a esta questão ela apenas disse: “Assistam e vocês vão se surpreender”.

Durante o workshop para a sua primeira protagonista, ela precisou de aula de prosódia para falar com o sotaque baiano e pediu ajuda à rainha do axé da vida real, a cantora e também atriz Ivete Sangalo.  “Conversei muito com a Ivete, ela me disse que cantar no trio era como cantar num karaoke, só que cantando bem” confessou.

O Canto da Sereia estreia dia 8 de janeiro na Rede Globo, leia mais sobre a série O Canto da Sereia clicando aqui.

João Paulo Alves