Medo da Verdade | Nono Capítulo

Medo da Verdade

INT. CASA DE REPOUSO/QUARTO DE ESTELA – DIA

ESTELA entrou no quarto e, para sua surpresa, encontrou ROSE bisbilhotando nos seus pertences.

ESTELA:
Meu Deus, você é uma ladra!
ROSE:
Dona ESTELA, mas o que a senhora está fazendo aqui?
ESTELA:
Eu estava retornando por quê… Ora, isso não interessa. Você estava me roubando!(GRITANDO) Pega Ladrão! Socorro, Ladra.

Inesperadamente, ROSE segurou ESTELA pelo braço e tapou a boca dela com a sua mão. 

ESTELA MACHUCA-A PELA BARRIGA COM A MÃO LIVRE E A MORDE PARA CONSEGUIR SE SOLTAR. ROSE URRA. ESTELA CORRE E, APÓS ALGUNS INSTANTES A ENFERMEIRA REAGE. ENQUANTO A SENHORA CORRE, ELA GRITA.

ROSE (GRITANDO):
Você não vai conseguir fugir de mim, eu sou mais rápida.

ESTELA não responde, apenas continua a correr quando vê uma enfermeira se aproximando.

ESTELA:
Socorro, me ajude, por favor.
LILIA:
Sim, senhora, mas quem é a enfermeira chefe da sua ala?
ESTELA (VIRANDO E APONTANDO):
Aquela ladra ali.

ROSE mira ESTELA e LILIA conversando e engole em seco.

CORTA PARA:

INT. CASA DE REPOUSO/SALA DA DIRETORA – DIA

A IRMÃ DIRETORA se encontra sentada atrás de sua escrivaninha  ESTELA, acomodada à frente dela e as duas enfermeiras, em pé, logo a sua frente.

DIRETORA:
Esta acusação é muito grave. Antes de fazer a queixa, Srª. Magneto, por favor, pense melhor se não se enganou com a cena.
ESTELA (GRITANDO):
Não, eu não me enganei. Pela manhã, assim que acordei, eu contei-a que usaria uma das minhas joias no aniversário do meu filho e quando volto inesperadamente mais cedo ela está bisbilhotando meu armário! Isso não pode ser coincidência.
DIRETORA:
Está bem, senhora Romano, não precisa se exceder. Agora, ENFERMEIRA ROSE, gostaria de ouvir a sua versão.
ROSE (VOZ INOCENTE):
Não houve nada demais, IRMÃ, eu estava apenas arrumando a caixa de remédios.
ESTELA:
E por que me segurou pelo braço e tapou minha boca?
DIRETORA:
Ela fez o quê?
ESTELA:
A senhora ouviu muito bem, pode conferir na mãe direita dela. Eu tive que mordê-la para conseguir me soltar.
DIRETORA:
Enfermeira ROSE, mostre a mão direira.

‘Com muita relutância, a enfermeira ergueu a mão e a IRMàDIRETORA conferiu-a.

DIRETORA:
Eu não gostaria de dizer isto, mas eu vou ter que fazer uma queixa por maus-tratos aos pacientes desta casa. Não vou admitir o nome desta instituição seja manchado.
ROSE:
Diretora, por favor…
DIRETORA:
Só Deus na sua causa agora, minha filha. Aconselho-lhe a rezar pela intercedência da santíssima trindade enquanto eu ligo para a polícia.
LILIA:
Dona ESTELA, não gostaria que eu lhe acompanhasse até o quarto?
DIRETORA:
É bem melhor, SENHORA ROMANO, receio que tenhamos de ir todas para a delegacia prestar depoimento.
ESTELA:
Está bem. Mas ligue para minha filha HELENA, o marido dela é advogado.
DIRETORA:
Pode ir tranquilamente.

ESTELA levanta e dá uma ultima olhada na cena: a IRMàDIRETORA fazendo um telefonema e a ENFERMEIRA ROSE com as mãos levadas ao rosto chorante.

CORTA PARA:

CORTA PARA:

INT. CASA DE REPOUSO/RECEPÇÃO – DIA

ESTELA chegava da delegacia acompanhada por sua filha, HELENA, e seu genro MARCOS.

HELENA:
Mamãe, eu vou tirar a senhora desta casa aqui, como é que podem deixar um monstro como aquela mulher trabalhar com idosos?
ESTELA:
Está tudo bem, HELENA, eu não quero mais dar nenhum trabalho.
HELENA:
Mas é a segurança da senhora, se eu não fosse tão ocupada, a senhora moraria comigo…
ESTELA:
Eu já sei, agora, é melhor eu ir me aprontar para não chegar atrada à festa.
HELENA:
Nós também, mamãe, deixamos o VINICIUS na casa do RENATO.
ESTELA:
O.K, vocês vão vir me pegar?
MARCOS:
Sim, dona ESTELA, viremos sim.
ESTELA:
Então está tudo certo.

HELENA dá um abraço em ESTELA e sai com MARCOS. ESTELA vai para seu quarto.

INT. CASA DE REPOUSO/QUARTO DE ESTELA – DIA

ESTELA abre o armário e tira um magnifico vestido azul marinho coberto de brilhantes, estende-o na cama e puxa um cadeira. Em cima do armário, pega uma caixa, abre-a e vê o conteúdo: joias. Ela escolhe um colar de perólas verdadeiras e um par de brincos dos mesmo conjunto. Ela entra no lavado, toma seu banho calmamente, enxuga-se, passa creme hidratante na pele, veste o vestido, põe as joias e passa perfume levemente. Em seguida sai do quarto.

INT.CASA DE REPOUSO/SALA DE CONVIVÊNCIA – NOITE

ESTELA resolve passar pela sala de convivência, um lugar onde os pacientes ficam antes de suas refeições. Ela irrompe pela porta e, instantaneamente, todos os olhares focam-se nela.

MAXIMILIAM:
Está encantadora, ESTELA.
ESTELA:
Muito obrigada.

Ela sai da sala e vai para a recepção, onde encontra HELENA,MARCOS, RENATO e VINICIUS a sua espera.

INT. CASA DE REPOUSO/RECEPÇÃO – NOITE

HELENA:
Mãe, a senhora está linda!
ESTELA:
Pena que não consegui ficar mais bonita que a minha filha.
RENATO:
Eu discordo.

RENATO beija a mão de ESTELA e, quando a solta, VINICIUS corre para abraçá-la.

ESTELA:
Ah, como eu estava morrendo de saudades do meu neto querido.
VINICIUS:
Eu também estava com saudades, vovó.
MARCOS:
Será que já podemos ir?
ESTELA:
Sim, vamos.

CORTA PARA: