Resumo de José do Egito (11/09/13) – José permite que os irmãos voltem a canaã

Veja em José do Egito (10/07/2013) Quarta-feira, 11/09/2013 – capítulo 31
José permite que os irmãos retornem a Canaã

Depois de terminar a cerimônia de casamento, Jacó se afasta para deixar o casal selar a união. Mara e Benjamin começam a se despir, mas ela fica receosa, temendo que essa seja a primeira e última vez dos dois. Benjamin consola a esposa e a convence de que retornará da viagem. O casal se beija, apaixonado. Ruben entra na tenda de Bila. A conversa entre os dois é muito emocionada. Após um beijo muito suave, Bila morre nos braços de Ruben. Ele chora, desesperado. Após o funeral de Bila, todos os filhos de Jacó se preparam para a viagem. Já no Egito, José se emociona ao ver os irmãos se aproximando. Ele vê Benjamin e fica tocado. Antes que a fila avance e todos possam vê-lo, José pede que Mitri leve os irmãos até sua casa. Ele sai sem ser visto. Mara se desculpa com Diná por tudo que já lhe fez.

As duas selam a amizade com um abraço emocionado. José pede que Azenate cuide de todos os preparativos para o almoço. Ruben e seus irmãos ficam preocupados com o banquete, mas ainda assim, são levados até o local. Enquanto caminham rumo ao templo, Sati e Hapu passam pelos irmãos de José. Ao saber quem são aqueles homens, Sati fica intrigada e encantada com todos. Seneb conduz Simeon para fora da prisão. Todos chegam na casa do vizir. Todos se curvam diante de José, mas ele pede que se levantem. José se emociona muito, mas tenta se controlar. Enquanto Benjamin fala, José está prestes a desabar. Ele interrompe o irmão mais novo e se afasta.

Aos prantos, José diz a Azenate que só pode se revelar depois de ter certeza que todos os seus irmãos amam Benjamin. Ele lava o rosto, se refaz, e retorna para a sala. Instruídos por Mitri, os irmãos se acomodam. Eles percebem que se sentaram de acordo com a ordem de seus nascimentos e acham curioso. Benjamin recebe uma porção maior que seus irmãos. Em um clima amistoso todos brincam e não percebem que são observados por José. Pentephres ignora os desejos de Sati. Ele afirma que já se cansou do jogo e a expulsa do templo. Hapu observa tudo, chocado. Após o almoço, José permite que os irmãos retornem a Canaã. Ele pede que todos se hospedem em Avaris para partirem no dia seguinte

Anúncios

Veja em José do Egito (10/07/2013) – José vira governador do Egito

Veja em José do Egito (10/07/2013)

José revela que os dois pesadelos do Faraó têm o mesmo significado. Ele conta que o Egito será agraciado com sete anos de fartura, que serão seguidos por sete anos de seca. O Faraó afirma que essa poderá ser uma catástrofe, mas José diz que não será uma desgraça se o soberano se preparar. Ele afirma que um homem deve ser nomeado para se tornar responsável por todo o Egito. Além disso, devem ser selecionados administradores para organizar os frutos da fartura que antecederá a fome.

Todos ficam boquiabertos. O Faraó entrega a administração de sua casa ao hebreu. Além disso, Apópi afirma que todo o povo também deverá obedecer à palavra de José. Ele decide que acima do hebreu estará apenas o Faraó. José se espanta. Ainda disfarçada, Tamar pede o selo com o cordão de Judá e seu cajado como segurança até que um cabrito seja trazido para a cidade como forma de pagamento. Eles caminham juntos até um local mais afastado. O Faraó entrega a autoridade em toda a terra do Egito a José. Pentephres se corrói de ódio enquanto Potifar tenta conter a emoção.

Apópi pede que José seja levado para ser limpo e vestido como o novo vizir do Egito. Enquanto caminha para outro local, Potifar se aproxima do hebreu. Emocionado, o comandante afirma que tem José como um filho e se mostra feliz com sua ascensão. Os dois se abraçam. Tamar se entrega a Judá. Diná e seu marido retornam ao acampamento, bastante felizes. Tany diz ao Faraó que José será recompensado ainda mais se puder ter Azenate. Depois de dormir com Tamar, mesmo sem ver seu rosto, Judá se apaixona.

Vestido como governador, José desfila pela cidade com o Faraó. Todos se curvam para o hebreu em sinal de respeito. Hapu gela de medo. Ele leva Sati até José. A egípcia fica boquiaberta ao vê-lo junto ao Faraó, como governador. Azenate, que ainda não sabe de nada, é levada por Tany até o local em que Apópi discursa para o povo. Ao ver as duas, o Faraó anuncia a todos que Azenate será a esposa de José. O casal fica surpreso. Furioso, Pentephres desafia a autoridade de Apópi e grita que não permitirá o casamento.

Pentephres percebe a gravidade do que fez. Ele baixa a cabeça, pede perdão e acaba sendo obrigado a engolir seu ódio. Durante um banho no rio, Lia quase se afoga. Diná a salva. De volta à tenda, Jacó diz a Diná que todos devem ficar atentos com as atitudes de Lia. Quando se dão conta, percebem que ela sumiu. Lia se aproxima de Simeon, muito confusa, agindo como uma criança. Sem querer, ele é rude e faz com que ela urine na própria roupa. Jacó se aproxima e leva a esposa de volta a tenda.

Arrasado, Simeon conversa com Diná. Na frente de Zilpa, durante uma discussão, Naamá afirma que Bila dá em cima de Ruben. Aconselhado pelos irmãos, que não aprovam uma possível relação com uma meretriz, Judá cogita a possibilidade de não retornar a Hebrom. Pentephres oferece riquezas para Hapu em troca do assassinato de José. Tany diz a Azenate que Pentephres é perigoso. Judá finaliza a negociação de sua casa com o amigo que a visitou. Ele pede que o rapaz leve o cabrito para a prostituta e traga de volta seu colar juntamente com o cajado. José vai até a casa de Sati.

Veja em José do Egito (03/07/2013) – Judá dorme com Tamar

Veja em José do Egito (03/07/2013)

Nekau serve vinho para o Faraó, que está perdido em seus pensamentos. Com a devida permissão, o copeiro fala sobre o hebreu, antigo escravo de Potifar, que interpretou seu sonho corretamente. Ele revela que o rapaz se chama José. Hapu engana Potifar. Mitri se aproxima do comandante para dizer que o Faraó o chama. Quando fica sozinha com Hapu, Sati afirma que não se submeterá a mais nada. Judá negocia sua antiga casa com um amigo quando Tamar chega. Ela revela que o viu de longe e se aproximou. Tamar fala sobre seu casamento com Selá, mas Judá a corta para dizer que a cerimônia não acontecerá. Diná alcança o marido e cai do cavalo. Gibar fica surpreso com a moça, que revela estar verdadeiramente apaixonada.

Diná toma a iniciativa e começa a beijar o marido. O casal começa a se despir. O Faraó conversa com Potifar e começa a perguntar sobre José. Azenate e Tany se aproximam sem serem vistas e ouvem tudo. Quando interrogado, o comandante revela que o hebreu tem diversas habilidades, mas foi preso sob a acusação de tentar violentar Sati. Azenate decide se revelar e interfere. Ela pergunta por que José foi preso ao invés de ter sido enviado para a morte. Constrangido, ele afirma que o hebreu é um homem especial, por isso deve ser ouvido. O Faraó decide que José deve ser trazido ao palácio. Judá diz a Tamar que não irá permitir o casamento porque fez um juramento para a esposa em seu leito de morte. Potifar vai até a cadeia para buscar José. Ele revela que o Faraó pretende vê-lo o mais breve possível.

Apópi afirma que receberá o hebreu porque está cansado de bajuladores. Enfurecida, Tamar decide comprar roupas típicas de prostitutas. Arrumado, José se despede de Seneb antes de partir com Potifar. Tamar se cobre, deixando apenas os olhos visíveis. Ela seduz Judá, que corresponde. José chega ao palácio. Diante do Faraó, ele se recusa a se curvar. José afirma que não se curva diante de homem algum. Todos começam a falar e Apópi se irrita. Ele exige que todos se calem. Em seguida, caminha na direção do hebreu e fica satisfeito, afinal, tem certeza de que aquele homem não irá bajulá-lo. Pentephres, que desejava o mal de José, engole o ódio. O Faraó decide contar seus pesadelos. Quando termina, pergunta qual é a interpretação de cada um deles. José revela que os dois pesadelos do Faraó têm o mesmo significado.

Ele conta que haverá sete anos de prosperidade e sete anos de fome no Egito. O Faraó afirma que essa poderá ser uma catástrofe, mas José diz que não será uma desgraça se o soberano se preparar. Ele afirma que um homem deve ser nomeado para se tornar responsável por todo o Egito. Além disso, devem ser selecionados administradores para organizar os frutos da fartura que antecederá a fome. Todos ficam boquiabertos, pois sabem que a interpretação foi correta. Pentephres se julga a pessoa certa para essa tarefa. O Faraó toma sua decisão. Se Deus tornou José um homem tão sábio, ninguém melhor que ele para uma tarefa tão importante. Ele entrega a administração de sua casa ao hebreu. Além disso, Apópi afirma que todo o povo também deverá obedecer à palavra de José. Ele decide que acima do hebreu estará apenas o Faraó.

José se espanta. Ainda disfarçada, Tamar pede o selo com o cordão de Judá e seu cajado como segurança até que um cabrito seja trazido para a cidade como forma de pagamento. Eles caminham juntos até um local mais afastado. O Faraó entrega a autoridade em toda a terra do Egito a José. Pentephres se corrói de ódio enquanto Potifar tenta conter a emoção. Apópi pede que José seja levado para ser limpo e vestido como o novo vizir do Egito. Enquanto caminha para outro local, Potifar se aproxima do hebreu. Emocionado, o comandante afirma que tem José como um filho e se mostra feliz com sua ascensão. Os dois se abraçam. Tamar se entrega a Judá. Diná e seu marido retornam ao acampamento, bastante felizes.

Mara fica insatisfeita e diz a Benjamin que a moça deveria sofrer mais. Furioso, o rapaz se afasta. Zilpa e Naamá dizem a Mara que todo esse ódio pode se voltar contra ela mesma. Tany diz ao Faraó que José será recompensado ainda mais se puder ter Azenate. Depois de dormir com Tamar, mesmo sem ver seu rosto, Judá se apaixona. Vestido como governador, José desfila pela cidade com o Faraó. Todos se curvam para o hebreu em sinal de respeito. Hapu gela de medo ao ver José e também se curva, humilhado. Hapu leva Sati até José. Ela fica boquiaberta ao vê-lo junto ao Faraó, como governador. Azenate, que ainda não sabe de nada, é levada por Tany até o local em que Apópi discursa para o povo. Ao ver as duas, o Faraó anuncia a todos que Azenate será a esposa de José. O casal fica surpreso.

Furioso, Pentephres desafia a autoridade de Apópi e grita que não permitirá o casamento. O Faraó pergunta como o sacerdote ousa questionar sua decisão. Pentephres percebe a gravidade do que fez. Ele baixa a cabeça, pede perdão e acaba sendo obrigado a engolir seu ódio. Durante um banho no rio, Lia quase se afoga. Diná a salva. De volta à tenda, Jacó diz a Diná que todos devem ficar atentos com as atitudes de Lia. Quando se dão conta, percebem que ela sumiu. Lia se aproxima de Simeon, muito confusa, agindo como uma criança. Sem querer, ele é rude e faz com que ela urine na própria roupa. Jacó se aproxima e leva a esposa de volta a tenda. Arrasado, Simeon conversa com Diná.

Veja em José do Egito (26/06/2013) – Apopi exige ver José

Veja em José do Egito (26/06/2013)

O soberano do Egito decide dar a Azenate a oportunidade de se defender. O marido de Diná afirma que ficará no acampamento de Jacó caso ela não queira retornar para sua terra. Azenate se defende durante o julgamento. Quando consultado pelo Faraó, Pentephres age estranhamente. Dúbio, ele acha que sua filha deve ser perdoada. Apópi decide livrar Azenate de qualquer punição. Ele exige também que todas as acusações contra ela sejam esquecidas. A jovem se emociona e abraça o pai. Pentephres diz ao pé do ouvido da filha que nunca a perdoará. Ele revela que só a salvou para lavar a própria honra e destaca que jamais permitirá sua felicidade ao lado de José.

Pentephres afirma que mandará matar os dois, caso se encontrem novamente. Dois anos se passam. O Faraó tem um pesadelo. Assustado, ele afirma que precisa de alguém que possa interpretá-lo. O Faraó permanece perturbado com o pesadelo. Diná tenta se entregar ao marido, mas as lembranças do estupro ainda a atormentam. Cansado após tantas negativas, ele sai da tenda e se junta aos outros que estão reunidos próximos a uma fogueira. O grupo se assusta ao ver Lia, que sai de sua tenda completamente nua. Perturbada, ela não percebe que está sem roupa. O Faraó tem outro pesadelo, diferente, mas tão terrível quanto o primeiro. A pedido do soberano, diversos magos, sábios e adivinhos são chamados para tentar decifrar os pesadelos do Faraó. Na prisão, José começa a ficar abatido.

No dia seguinte, Lia se envergonha do que fez e começa a chorar. Enquanto os outros falam, Lia volta a seu mundo interior e olha para todos sem reconhecê-los. Ela expulsa os filhos da tenda e só reconhece Jacó. Mais velhos, Benjamin e Mara trocam um selinho de forma desajeitada. O marido de Diná passa pelos dois carregando seus pertences. Ele afirma que está voltando para sua terra. Ruben tenta beijar Bila, mas acaba levando uma mordida. Ao descobrir que seu companheiro partiu, Diná pega um cavalo e sai à procura do marido. Naamá se desespera porque a jovem não sabe cavalgar. Ninguém consegue decifrar os pesadelos do Faraó. Pentephres decide tentar. O soberano percebe que a interpretação do sacerdote não é verdadeira e o expulsa.

Sati se cansa das exigências de Hapu e afirma que ele pode contar toda a verdade para Potifar. Enquanto discutem, o comandante chega e pergunta o que deve lhe ser revelado. Em tom desafiador, Sati instiga Hapu a falar. Ele fica tenso. Nekau serve vinho para o Faraó, que está perdido em seus pensamentos. Com a devida permissão, o copeiro fala sobre o hebreu, antigo escravo de Potifar, que interpretou seu sonho corretamente. Ele revela que o rapaz se chama José. Hapu engana Potifar. Mitri se aproxima do comandante para dizer que o Faraó o chama.

Quando fica sozinha com Hapu, Sati afirma que não se submeterá a mais nada. Judá negocia sua antiga casa com um amigo quando Tamar chega. Ela revela que o viu de longe e se aproximou. Tamar fala sobre seu casamento com Selá, mas Judá a corta para dizer que a cerimônia não acontecerá. Diná alcança o marido e cai do cavalo. Gibar fica surpreso com a moça, que revela estar verdadeiramente apaixonada. Diná toma a iniciativa e começa a beijar o marido. O casal começa a se despir. O Faraó conversa com Potifar e começa a perguntar sobre José.

Azenate e Tany se aproximam sem serem vistas e ouvem tudo. Quando interrogado, o comandante revela que o hebreu tem diversas habilidades, mas foi preso sob a acusação de tentar violentar Sati. Azenate decide se revelar e interfere. Ela pergunta por que José foi preso ao invés de ter sido enviado para a morte. Constrangido, ele afirma que o hebreu é um homem especial, por isso deve ser ouvido. O Faraó decide que José deve ser trazido ao palácio. Judá diz a Tamar que não irá permitir o casamento porque fez um juramento para a esposa em seu leito de morte. Potifar vai até a cadeia para buscar José. Ele revela que o Faraó pretende vê-lo o mais breve possível.

Veja em José do Egito (19/06/2013) – Sati revela para Tany que está sendo chantageada por Hapu

Veja em José do Egito (19/06/2013)

Enquanto ensina Benjamin a lidar com um animal, Jacó avista alguém se aproximar do acampamento. É Diná, que chega com as roupas rasgadas. Aos prantos, ela cai nos braços do pai. Selá encontra o pai e o leva até Elisa. Depois de pedir perdão, Diná revela que fugiu de seu marido porque não quer ser uma mulher casada. Bila se assusta quando Lia a confunde com Naamá.

Após uma triste despedida, Elisa morre nos braços de Judá. Ele grita, abraçado ao corpo de sua falecida esposa. Simeon diz a Levi que José vive. Atormentado, ele pede para ficar sozinho. Diná diz ao pai que fugiu porque não conseguia ser tocada por seu marido. Lia chega à tenda, mas não reconhece a própria filha. Sem convicção, ela tenta fingir que conhece a jovem, mas depois de abraçá-la, Lia tem um lampejo de reconhecimento e se lembra. Depois de receber uma cesta de mantimentos das mãos de Mitri, Azenate fica sabendo que Pentephres voltará para o aniversário do Faraó. Após três dias, Thot e Nekau são levados até a presença do Faraó.

O padeiro se desespera. Quando sai da cadeia, a dupla passa por José. O hebreu pede a Nekau para não esquecê-lo quando falar com o soberano do Egito. Simeon se aproxima do poço em que José foi jogado. Abalado, ele encontra o colar de seu irmão, que havia caído na ocasião. Levi chega e estranha, mas Simeon não dá o braço a torcer. O Faraó perdoa Nekau e pune Thot, exatamente como José havia anunciado. Seneb fica impressionado com a precisão das palavras do hebreu. Sati revela para Tany que está sendo chantageada por Hapu. Jacó chama Diná para dizer que seu marido chegou ao acampamento. Em trapos, Azenate chega ao aniversário do Faraó. Apoiada nas leis de sua sociedade, ela pede um julgamento para ter a chance de se defender.

O soberano do Egito decide dar-lhe a oportunidade. O marido de Diná afirma que ficará no acampamento de Jacó caso ela não queira retornar para sua terra. Azenate se defende durante o julgamento. Quando consultado pelo Faraó, Pentephres age estranhamente. Dúbio, ele acha que sua filha deve ser perdoada. Apópi decide livrar Azenate de qualquer punição. Ele exige também que todas as acusações contra ela sejam esquecidas. A jovem se emociona e abraça o pai. Pentephres diz ao pé do ouvido da filha que nunca a perdoará. Ele revela que só a salvou para lavar a própria honra e destaca que jamais permitirá sua felicidade ao lado de José. Pentephres afirma que mandará matar os dois, caso se encontrem novamente. Dois anos se passam. O Faraó tem um pesadelo. Assustado, ele afirma que precisa de alguém que possa interpretá-lo.

Veja em José do Egito (05/06/2013) – José coordena os trabalhos na cadeia

 José do Egito (05/06/2013)

Jetur e seus companheiros lutam com alguns guardas enquanto José tenta ajudar Seneb, que desfalece depois que a lança é retirada de seu ombro. Diante de Potifar, Sati insiste em manter sua história. O comandante revela que sabe do desejo que sua mulher sente por outros homens. Potifar afirma que Sati será punida de acordo com a lei do Egito para adúlteras, caso alguma traição seja descoberta. A punição é ter seu nariz decepado. Benjamin começa a questionar os irmãos, querendo saber mais sobre José. Todos tentam enganar o menino, que fica desconfiado. Meribast volta para casa. Tany encontra a pedra de Azenate com sua gata e reza pela filha de Pentephres. José consegue arrastar Seneb para um local seguro. O hebreu grita com os presos. Todos se acalmam. Com a ajuda de Azenate, José leva Seneb para seu quarto. Azenate cuida da ferida de Seneb. Ele desperta, mas não consegue falar. Assustado, Benjamin vê o escorpião e acorda Simeon antes que ele seja picado. Simeon afasta o animal, que cai perto de Mara. Com o susto, ela se revela e Simeon a segura com raiva, querendo saber o que fazia por ali.

Ruben jura para Naamá que nunca mais se aproximará se Bila e pede perdão. Mara confessa que é responsável pelo escorpião. Descontrolado, Simeon decide chicotear a menina, mas Benjamin intercede e consegue convencer o irmão a mudar de ideia. Após o casamento, Tamar se decepciona com Onã, que a usa já na primeira noite de amor. Depois que a situação na cadeia se acalma, José conta a verdadeira história que resultou em sua prisão. Ele fica radiante quando sua amada revela que desistiu de ser uma sacerdotisa. José acalma Azenate, que teme pelo futuro, e a beija carinhosamente. Sofrida, Mara diz a Benjamin que todos os filhos de Jacó pagarão pela morte de seu pai. José se emociona ao contar sua história para Azenate. Um guarda que fazia a ronda vê a moça dentro da cela e a reconhece. O casal fica acuado frente ao guarda e os presos, que temem pela ira de Seth. José consegue segurar o guarda para Azenate fugir.

Os presos ainda tentam, mas não conseguem capturá-la. Seneb não entende porque José trata sua ferida. Ele fica admirado com a pureza do hebreu. José inicia uma limpeza em seu alojamento. Inicialmente os presos estranham, mas logo tratam de ajudar. Furtiva, Bila entra na tenda de Ruben. Ela dá a entender que ainda o ama, mas não assume. Naamá vê Bila deixando a tenda e fica arrasada. José coordena os trabalhos na cadeia. Todos os presos começam a respeitar o hebreu. O tempo passa. Apesar de não estar muito feliz, Diná se casa. José serve uma comida deliciosa para Seneb, ainda em recuperação. Ele se impressiona com a inteligência de José, que organiza a prisão. Sati se irrita com seu jardim, que fica horrível, e decide questionar Hapu.

Cansado de tantas humilhações, ele afirma que não se submeterá a mais nada e ameaça revelar para Potifar que já se deitou com Sati. Emocionada, Diná se despede de seus familiares e parte com o marido. Seneb se recupera e fica impressionado com a organização do local. Ele torna José responsável por tudo. Durante a festa, Onã discute com Tamar e a agride. A briga chama a atenção de todos. Jacó e Lia decidem se aproximar, mas antes que consigam chegar, Onã se engasga com seu alimento e morre nos braços do pai, Judá. O Faraó começa a se servir em um banquete. Ele percebe que seu pão tem pedras e o vinho possui moscas. Apópi acredita que é desleixo de seus servos. Potifar manda Nekau e Thot para a prisão. Elisa culpa Tamar pela morte de seus filhos.

Veja em José do Egito (22/05/2013) – Azenate vê José sendo levado até a cadeia

José do Egito: hoje 22/05/2013

Jacó diz a Judá que, segundo as leis, Onã deve se casar com Tamar. Mara culpa Diná pela morte de seu pai e afirma que a odeia. Sati chega em casa e se banha. Sedutora, ela se prepara para se aproximar de seu escravo. José resiste como pode, apesar de sentir desejo. Sati decide deixar a roupa cair, expondo seu corpo nu. Imóvel, sem saber o que fazer, José ainda resiste. Sati se aproxima e começa a tirar a túnica de José. Sem saída, ele foge correndo. Furiosa, ela percebe que tem a túnica de José nas mãos e começa a gritar. Quando Hapu se aproxima, Sati mente que o hebreu tentou violentá-la e pede que o servo capture José.

Em meio à cerimônia, Azenate emite um grito e afirma que não pode se tornar uma sacerdotisa. Hapu consegue capturar José. Sati exige que o hebreu seja trancado e pede que seu marido seja chamado imediatamente. Pentephres se revolta com a filha, que decidiu abrir mão do sacerdócio. Não satisfeito em demonstrar toda sua decepção, o sumo-sacerdote amaldiçoa Azenate. Ela ainda implora por perdão, mas Pentephres a empurra com repulsa e a direciona para a saída do templo. A multidão que participava da cerimônia se dispersa rapidamente, temendo a fúria de Seth.

Hapu chega ao local e fala com Potifar sobre o que aconteceu com Sati. Azenate sofre com a humilhação de Pentephres, que a agride publicamente e instiga o povo, que também começa a agredi-la. Azenate consegue escapar. Pentephres salta do descontrole para um choro profundo. Sati se faz de vítima diante de Potifar. Ela inventa uma história que deixa o marido furioso. Irritadíssimo, Apópi atribui a decisão de Azenate à incompetência de Pentephres como pai. Temendo pelo caos divino, ele decide expulsar o sumo-sacerdote do palácio. Questionado por Potifar, José percebe que não adianta tentar argumentar. Ele abaixa a cabeça e não entrega Sati.

Furioso, Potifar o pega pelo braço e arrasta até a cadeia. Graças a Tany, o Faraó pondera em sua decisão e opta por enviar Pentephres para On, sua cidade natal, até que a situação se acalme. Judá tenta consolar Elisa, que sofre com a morte de Er. Diná fica pensativa quando Naamá afirma que ela deve abrir seu coração para futuros pretendentes. Machucada, Azenate vê José sendo levado até a cadeia. O Faraó proíbe que Tany se aproxime de Azenate novamente. A situação na prisão é caótica, com sofrimento, dor e humilhação para todos os lados. José é entregue a Seneb.