” Mordomo teve caso com Bárbara Ellen e é pai de uma de suas filhas. “

Giulia Gam é Bárbara Ellen em 'Sangue bom

Giulia Gam é Bárbara Ellen em ‘Sangue bom

 

Bárbara Ellen (Giulia Gam) já teve caso com Plínio (Herson Capri), Vitinho (Rodrigo Lopez) e até mesmo com Mulher Pau de Jacu (Luiz André Alvim) em “Sangue bom”. Nos próximos capítulos da história de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, mais um romance da ex-atriz virá à tona. Ela já teve um caso com seu fiel mordomo, Bolívar (Rubens Camelo).

E o romance dos dois rendeu um segredo mantido a sete chaves: Bolívar é pai de Dorothy (Ayumi Irie). Bárbara decidirá contar a verdade para a menina, mas desistiá logo em seguida. O mordomo ficará aliviado ao saber que a mãe de Amora (Sophie Charlotte) optou por não revelar a paternidade à filha.

 

Globo veta piada sobre Cigano Igor em ”Sangue Bom”

Ator se sentiu ofendido…

A nova trama das sete da Globo, ”Sangue Bom”, vem dando umas alfinetadas em famosos, e personagens criados em novelas da própria emissora. Na semana passada, uma piada sobre o Cigano Igor da novela ”Explode Coração”, de 1995, deixou seu intérprete bastante chateado.

Em determinada cena, Madá (Fafy Siqueira) diminuiu ator e personagem do folhetim de Glória Perez ao dizer para Bárbara Ellen (Giulia Gam): ”Ela não foi capaz de dividir cena com o cigano Igor”. Ricardo se sentiu ofendido e fez duras críticas á emissora e aos novelistas responsáveis pela obra em seu Facebook. Todos sabem que ele é lembrado até os dias de hoje por sua péssima atuação na novela.

Com isso, uma nova ”piadinha” sobre ele foi vetada da novela. A própria autora Maria Adelaide Amaral, ao ”O Globo” confessou que a inciativa partiu dela mesmo, para evitar mais problemas. Ainda na conversa, a novelista deu uma alfinetada no ator ao dizer: ”Não queremos ferir suscetibilidades”.

@leonaardogsilva 

Maria Adelaide Amaral vai escrever remake de “Semideus”

Globo fará remake de "Semideus"

Prestes a entrar no ar com sua próxima novela “Sangue Bom“, a autora Maria Adelaide Amaral foi escalada pela Globo para emplacar o próximo folhetim das 23h em 2015.

A trama escolhida pela emissora para ser o próximo remake será “Semideus“, novela de Janete Clair exibida em 1973. Anteriormente era previsto que a novela seria de “Que rei sou eu?” mas a emissora mudou de ideia após a trama ter sido escalada para ser reprisada no Canal Viva.

A autora vai passar por um desafio para escrever a novela. Por ser muito antiga, ela deverá fazer o mesmo que em “Ti Ti Ti“, pegando a história original e modernizando toda a trama.

Protagonizada por Tarcísio Meira e Glória Pires, a história da novela narra a vida de Hugo Leonardo, um industrial que sofre um acidente de lancha provocado por três inimigos, que colocam um sósia em seu lugar na empresa, assumindo, assim, os negócios do milionário. Porém, o jornalista Alex Garcia e a namorada de Hugo, Ângela, desconfiam da armação e investigam o desaparecimento do empresário, que na verdade não está morto, mas com o rosto desfigurado, e volta para se vingar.

Henrique Oliveira

Rede Globo ainda não definiu término de suas próximas novelas

2013032713068Diretor-geral ainda não definiu fim da e “Sangue Bom” e “Amor A Vida”

“Sangue Bom”, novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari , próxima novela das 19h , e “Amor À Vida” , de Walcyr Carrasco , próxima das 21h , ainda não tem duração confirmada. Possivelmente podem acabar em outubro deste mesmo ano , como pode continuar no ar até janeiro de 2014. Até o momento ainda não teve uma decisão.

Segundo informações de Flávio Ricco , o ponto mais impressionante é que os motivos por essa indecisão não são conhecidos nem pelos seus respectivos autores. Mas sabe-se é que esse assunto será discutido brevemente numa reunião entre Carlos Henrique Schroder e Manoel Martins , do departamento de entretenimento , para determinar numero exato de capítulos que cada atração terá ,até para pontuar-se o planejamento dos dois trabalhos com maior precisão.

Eder Gustavo

Miguel Falabella critica novelas: “tenho horror a remake”

dwerwr

Ao olhar para trás na história da televisão brasileira, pode-se destacar inúmeras novelas que foram grandes sucessos de audiência. O fato de serem apostas que já deram certo e que, muitas vezes, ainda vivem na memória afetiva do público, acaba atiçando as emissoras à tentação de adaptá-las. Não é à toa que a teledramaturgia vive um período marcado pelo boom de remakes. Miguel Falabella –  autor e protagonista de Pé na Cova –, no entanto, não está na lista de autores que faria uma releitura. “Eu tenho horror a remake. Não gosto de coisa repetida, vou sempre para frente”, enfatizou.

 Outro dramaturgo que segue o mesmo pensamento é Gloria Perez. No ar com Salve Jorge no horário nobre da Globo e conhecida por ter um padrão autoral em seus folhetins – tramas recheadas de merchandising social e multiplicidade de culturas –, ela prefere criar algo do zero a ter de trabalhar com uma obra já existente, mesmo que seja sua. “Nunca pensei em fazer um remake e nem gostaria. Fica difícil recriar algo que tive prazer em escrever. E como eu não mudaria nada em minhas novelas, não faria sentido refazê-las”, argumentou.

 Remakes ganham espaço

A popularidade dos remakes se prova com o fato de três canais líderes de audiência, e únicos abertos que exibem folhetins, estarem em fase de produção de obras adaptadas. A Globo, com Saramandaia, o SBT, com Chiquititas e a Record, com Dona Xepa. Sem contar com as segundas versões que já estão no ar, como Guerra dos Sexos e Carrossel, além das que foram exibidas recentemente, como Gabriela, Rebelde e Ti-Ti-Ti. “Eu considero o remake uma reinterpretação de alguma obra”, pondera Walcyr Carrasco, autor da segunda versão de Gabriela.

 Entretanto, o êxito das primeiras versões dos folhetins entre os telespectadores não é garantia de sucesso para as adaptações. Muitas vezes porque a trama, por ser datada – já que foi escrita há anos –, acaba não convencendo nos dias de hoje. Como é o caso de Guerra dos Sexos, escrita e reescrita por Silvio de Abreu.

 Quando gravada em 1983, a obra retratava de maneira cômica o espaço que a mulher vinha ganhando no mercado de trabalho e, consequentemente, a disputa que esse fato gerava entre os gêneros. Mas as mulheres praticamente já conquistaram a igualdade com os homens em termos profissionais e o tema já não empolga mais a quem assiste à produção.

 “Eu comecei a história a partir de uma nova ideia, que foi a morte dos protagonistas Charlô e Otávio. Mas a adaptação tem os mesmo personagens e situações parecidas, só que escritas para os novos intérpretes”, explica Silvio de Abreu.

 Ao que parece, o essencial na produção de um remake é manter o texto o mais atualizado possível, mesmo seguindo a linha autoral da primeira versão. Esses foram os casos, por exemplo, de Rebelde, Carrossel e Ti-Ti-Ti. A novela teen, originalmente mexicana, teve seus direitos comprados pela Record. Com a adaptação de Margareth Boury, a obra caiu no gosto dos adolescentes e teve fôlego para sustentar uma segunda temporada.

 Também importado do México, só que dessa vez pelo SBT, Carrossel, assinado por Íris Abravanel, conseguiu alcançar o propósito para que veio: conquistar o público infantil. E Ti-Ti-Ti, recriada por Maria Adelaide Amaral, marcou uma média de 30 pontos de audiência, bom índice para o horário das sete da Globo.

 Mesmo tendo conseguido um reconhecimento que seu colega de emissora não atingiu ainda com o remake de  Guerra dos Sexos, Maria Adelaide confere a Silvio de Abreu parte de seu sucesso. “Como me ensinou Silvio de Abreu na novela Anjo Mau, temos de aproveitar a ideia principal e escrever a nossa própria novela. Foi o que eu fiz em Ti-Ti-Ti e deu certo”, revelou a autora.

 Entre as novidades que estão por vir, Saramandaia e Dona Xepa vão se diferenciar deChiquititas no quesito de liberdade autoral. Enquanto as duas primeiras, adaptadas respectivamente por Ricardo Linhares e Gustavo Reiz, terão as histórias originais apenas como fio condutor inicial, a novela infantojuvenil seguirá o modelo de sua antecessora –Carrossel, também escrita por Íris Abravanel – e contará a mesma trama de sua primeira versão.

 “Eu tenho toda liberdade para escrever como quiser, mudando o que acho que deve mudar e mantendo o que acredito que ainda funciona”, contou Ricardo Linhares. Mas os dois autores, mesmo mudando certos elementos das novelas, não têm medo das comparações. “As comparações são inevitáveis, mas cada autor tem sua forma de contar. Acho interessante o público conhecer várias versões da mesma obra”, conclui Gustavo Reiz.

 Instantâneas

Saramandaia é o quinto remake seguido produzido pela Globo no período de três anos. 

# O diretor Ivan Zettel, contratado pela Record, já está ficando expert em adaptações. Sem muito descanso após dirigir Rebelde, ele já está no comando de Dona Xepa

# Iris Abravanel chegou a escrever dois remakes ao mesmo tempo. Enquanto finalizavaCarrossel, já havia começado o roteiro de Chiquititas

# A novela Tieta, sucesso nos anos 1980, já está cotada para virar um remake e deve ir ao ar em 2014.

Com informações site Terra

Confira o novo visual de Marco Pigossi para a novela Sangue Bom

Marcos Pigossi será um florista em Sangue Bom (Foto: Zé Paulo Cardeal/ TV Globo)

Marco Pigossi vai aparecer assim, de madeixas compridas e cercado de flores, em Sangue Bom, a próxima novela da sete da Rede Globo. Na trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, ele será Bento, um florista que faz parte do grupo de jovens que colocará em foco a busca por diferentes ideais de vida.

Sangue Bom é uma novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari com direção de núcleo de Dennis Carvalho. No elenco estão Humberto Carrão, Sophie Charlotte, Isabelle Drummond, Herson Capri, Fernanda Vasconcellos, Mayana Neiva, Marco Pigossi, Giulia Gam, Marisa Orth, Marco Ricca, Letícia Sabatella, Malu Mader, Felipe Camargo, Ingrid Guimarães e outros grandes talentos. A próxima novelas das sete da Rede Globo tem estreia prevista para abril.

Veja a logomarca provisória de “Sangue Bom”

“Sangue Bom” já tem uma possível logomarca escolhida pela Globo (foto), a trama assinada por Maria Adelaide Amaral e Vicente Villari substituirá “Guerra dos Sexos” na Globo.

No elenco estão: Isabelle Drummond, Marco Pigossi, Malu Mader, Yoná Magalhães, Herson Capri, Fernanda Vasconcellos, Letícia Sabatella, Marisa Orth, Deborah Evelyn, Bruno Garcia, Giulia Gam, Fafy Siqueira, Humberto Martins, Regiane Alves, Marco Ricca, Mayana Neiva, Letícia Isnard, Felipe Camargo, Louise Cardoso e Armando Babaioff.

A estreia está prevista para ir ao ar dia 29 de abril.
Gabriel Henrique

”Sangue Bom” abordará a relação de famosos com os Paparazzi

Próxima novela das sete, de autoria de Maria Adelaide Amaral

Um dos temas a ser retratado na próxima novela das sete da Globo – ”Sangue Bom”, que substitui ”Guerra dos Sexos” – será a relação dos paparazzi com os famosos. Relação esta de amor e ódio. Tudo em meio a este mundo não passará despercebido na trama, e o conjunto do trabalho, que conta com flagras de escândalos, brigas, traições, e romances farão parte  da obra.

O ator Guilherme Gonzalez se prepara para se tornar um profissional da área. Ele é o intérprete do Efraim, para quem não se lembra, de ”Morde e Assopra”. Para desempenhar tal papel, ele estaria tendo conhecimento da área junto a profissionais, e percorrendo em São Paulo e Rio de Janeiro estreias, e shoppings, além de praias.

Seu personagem trabalhará na novela com Sueli Pedrosa, papel de Tuna Dwek, uma jornalista sensacionalista. A autora resolveu resgatá-la de ”Ti Ti Ti”, sua última novela, da qual ela faz parte.

Leonardo Gabriel