Opinião: A Record ainda pode ser líder?

Ainda a caminho da liderança?

Eu não sabia qual assunto iria discutir em meu primeiro post de retorno a esta “casa”, que é o Club, em meio a tantas postagens e discussões sobre artistas mudando de emissora, resolvi escrever sobre esse assunto que sempre vem a tona, a tão sonhada liderança da Rede Record. Nos anos de 2004 a 2007 a Record criou o slogan “A caminho da liderança”, um belo slogan, que demonstrava o real desejo da emissora, ideal para a época em que foi lançado.

Em meados de 2007 e 2008 a Record conseguia “assustar” com seu carro chefe, a novela “Caminhos do coração”, sua maior concorrente, a Globo, que por anos esteve, e continua, dominando a televisão aberta brasileira, via-se que a teledramaturgia seria a carta que levaria a Record a vitória, mas não foi bem assim, a busca incessante por audiência, para mim, começava a partir dali, pois exploraram a novela, criaram uma continuação (algo que eu considero inédito em uma novela) e reprises até que o público estivesse saturado, a emissora e  novela viraram piada na boca dos telespectadores, um erro que nunca deveria ter ocorrido, a exemplo de sua maior concorrente que demora anos para reprisar suas novelas, oferecendo aos telespectadores novas produções e assim mantendo o público e a audiência. Depois de anos explorando a novela o público se cansou e a Record apostou em outras novelas que não obtiveram o mesmo sucesso de “Caminhos do coração”, que conseguia atingir pontuações incríveis.

As novelas da emissora estão sendo esquecidas devido a baixa audiência, e agora estão investindo nas histórias bíblicas, em minisséries, uma ideia fantástica, que se tornou a maior audiência da emissora, mas até onde vão as minisséries?, o que vão fazer depois que elas acabarem?. Enquanto isso a Record continua oferecendo em sua programação mais do mesmo, coisas que o público está cansado de ver.

Ao ler recentemente uma entrevista de um ex-autor da Record falando que lá faltavam profissionais do “ramo”, pois os que estão lá não davam a “importância” necessária para a teledramaturgia, concluí que tudo o que ele falou é verdade, eu como telespectador da record vejo ela como um carro dirigido por uma pessoa que não sabe dirigir, seguindo um caminho que não sabe onde vai chegar, se é que o carro vai ter combustível suficiente para chegar lá um dia. A  Record pode até estar “Do jeito que o povo gosta”, mas não está “A caminho da liderança” mesmo!, pois até hoje as novelas são o principal produto de qualquer emissora, e só com elas seria possível realizar este sonho.

O que você acha sobre a atual situação da Record?, deixe sua opinião, comente.

“José do Egito” Registra ótima audiência e Garante a Vice liderança Para a Record nesta Quarta (11)

Minissérie Garante boa audiência para a Record

A Minissérie “José do Egito” garante boa audiência para a Rede Record, e registrou a vice liderança nesta quarta (11).

Ao todo a Minissérie registrou uma ótima audiência com 12, pontos de média com picos de 14. Ainda no horário a Rede Globo registrou a liderança com 24, O SBT registrou boa audiência mais fechou em terceiro com 8 pontos de média. A Band  3.5 pontos, e por fim a Rede TV, 0.5.

Se terceirizar seus setores, Record pode apostar em microsséries em 2014

Record-HD3D-300x162

A chegada do diretor Marcelo Silva para o cargo de vice-presidente artístico, além do momento de crise vivido pela emissora, deve dar um novo rumo às produções de dramaturgia do canal a partir do ano que vem.

Segundo o jornalista Flávio Ricco, deve-se apostar muito em produções terceirizadas no estilo de microsséries – histórias curtas e com baixo número de capítulos. O vice-presidente artístico, Marcelo Silva, inclusive, já tem sentado para se reunir com autores da casa, mostrando-os o novo sentido que o setor de dramaturgia do canal deve tomar. Compras de textos para adaptação também já estão em andamento.

O formato é conhecido e já foi usado pela Globo várias vezes. O Canto da Sereia, exibida em janeiro e protagonizada por Isis Valverde, é um exemplo de microssérie de sucesso.

Minisséries e produções especiais realizadas por produtoras independentes também devem fazer parte do planejamento, como “Os Milagres de Jesus”, que será feita em parceria da Record com a Academia de Filmes. Há quem diga ainda que todas as novelas do canal também passarão a ser terceirizadas, o que reduziria bastante os gastos da emissora.

Athirson Aguiar

“Máscaras” tem seu último capítulo antecipado para outubro na Record

Insatisfeita com os índices de “Máscaras”, a direção da Record decidiu antecipar o último capítulo da trama de Lauro César Muniz. Segundo consta, o desejo de Lauro em escrever folhetins curtos será realizado, e sua novela deverá deixar a grade da emissora paulista no dia 8 de outubro, com 130 capítulos.

Depois de “Máscaras”, Lauro escreverá somente minisséries na Record, até o momento o principal folhetim da casa acumula uma média de 7 pontos.

Redação | Club TV

Jayme Monjardim dirigirá novela de Manoel Carlos

A Globo confirmou recentemente a novela de Manoel Carlos como a substituta de “Salve Jorge” novela de Glória Perez.

 A novela de Manoel Carlos terá direção de núcleo de Jayme Monjardim, que dirigiu recentemente a novela “A Vida da Gente”. A parceria de Jayme com Manoel é a mesma de “Viver a Vida” (2009), “Maysa – Quando Fala o Coração” (2009) e “Páginas da Vida” (2006).

Essa será a última novela de Manoel Carlos, depois dela ele irá se dedicar a minisséries. Como costume em todas as novelas de Manoel Carlos, a protagonista se chamará Helena que dessa vez será interpretada por Júlia Lemmertz que será a última das Helenas.

 Gabriel Henrique