Globo já se move para adquirir os direitos das Olimpíadas de 2020

As Olimpíadas de Londres mal acabaram e a Globo já estuda fazer uma proposta milionária para adquirir os direitos das exibições das competições em 2020, segundo o jornal Folha de São Paulo.

A emissora dos Marinho tem umas artimanhas para isso: Pretende convencer o Comitê Olímpico que  se as transmissões não forem exclusivas há maiores chances de arrecadamentos e de maior divulgação das competições na TV aberta. A Record, por outro lado, pretende fazer como fez com o Pan, tudo em sigilo.

Mas, a Globo diz que nem pensa nisso ainda, que o foco é na verdade nas transmissões de 2016, cujo serão divididas entre Band, Record e ela própria.

Leonardo Gabriel

Emissoras de TV já começam a disputar direito das Olimpíadas de 2020

Competição pode custar US$ 250 milhões no Brasil

As Olimpíadas de Londres nem chegaram ao fim ainda e já se fala nas emissoras que terão o direito de exibi- las em 2020, já que na de 2016, Globo e Record dividirão as transmissões o evento. Porém, ao que se sabe, ambas já estão armadas para tentar adquirirem com exclusividade as transmissões daqui a oito anos, ainda sem país sede definido.

Uma batalha milionária, diga-se de passagem. A cada ano os direitos das Olimpíadas estão mais caros. Para se ter uma ideia, em 2004 a Globo desembolsou cerca de US$ 5 milhões. Em 2008, a mesma emissora transmitiu a Olimpíada de Pequim, o que custou algo em torno de US$ 15 milhões.

Já a Record, detentora com exclusividade das exibições gastou  US$ 60 milhões neste ano. No ano de 2016, Globo, Record e Globo terão que utilizar  US$ 200 milhões para exibirem as disputas.

Vale lembrar que em 2006 a emissora dos bispos comprou os direitos das Olimpíadas atuais. Por isso, a próxima disputa já começou.

Leonardo Gabriel