Aos 30 anos, Sandy se sente quase aposentada e livre para ser o que é

Chegando aos 30, Sandy se sente quase aposentada e livre para ser o que é - Divulgação/TV Globo

Em tempo de gravações do longa Quando eu Era vivo, onde atua como protagonista, Sandy vive momento de reflexão e maturidade. O filme é uma adaptação de livro A Arte de Produzir Efeito Sem Causa, de Lourenço Mutarelli, autor de O Cheiro do Ralo, também adaptado para o cinema e protagonizado por Selton Mello. No filme ela vive uma sensual estudante de música e contracena com Antonio Fagundes

“Vou fazer 30 anos [em janeiro]. Sei que sou jovem, mas tenho 22 anos de carreira. E já vivi de tudo, já experimentei de tudo. Já trabalhei com a gravadora pressionando, com aquela responsabilidade em relação ao público. Já vendi muito. Daqui para frente acho que me sinto muito livre. E esse filme faz parte dessa fase. De balzaquiana quase aposentada”.

Lincoln André