CLUB DRAMATURGIA #01: Adriana Esteves (Parte A)

SOAP

Booooooooooooa Noite. É com muito bom humor e com mais uma polêmica que começamos o Club Dramaturgia de hoje. Nessa nova temporada, que terá apenas cinco edições, vamos falar sobre o melhor e o pior das novelas brasileiras. E para estrear, vamos tratar de polêmica e, se é polêmica, é Salve Jorge, mas também vamos falar de crítica e, se é crítica, é Renascer. Portanto, as escaladas para protagonizar essa primeira edição do Club Dramaturgia 2012-2013 são Nanda Costa e Adriana Esteves. 

televisao

Foram vários fatores que me levaram a escolher esse tema – “Atrizes Criticadas” -, primeiramente, a reprise de Renascer no Viva, na qual estamos tendo a oportunidade de ver como a Adriana era há quase vinte anos atrás.  O segundo fator foi uma declaração da autora do atual folhetim das nove, Glória Perez, para o jornal O Dia, onde ela dizia: “Nunca vi campanha tão sórdida contra uma novela e uma pessoa: desde o caso Adriana Esteves, em ‘Renascer’ (1993)”. Pois bem, vamos fazer um paralelo comparativo dessas duas atrizes nessa edição do Club Dramaturgia. 


R

adriana-esteves-renascer

Antes de brilhar na pele da vilã Carminha de Avenida Brasil, a atriz Adriana Esteves passou por muitas situações na sua vida profissional. Entre elas, destaca-se sua primeira protagonista no horário nobre: a Mariana de Renascer.

Renascer marcava a volta de Benedito Ruy Barbosa a dramaturgia após o estrondoso sucesso de pantanal e o clima era de expectativa partindo do público, todos esperavam mais um sucesso, porém o autor resolveu ousar nas escolhas, não digo somente por Adriana Esteves, mas também pela escalação de uma hermafrodita no elenco.

A novela estreou com Antônio Fagundes e Adriana Esteves como protagonistas, no entanto outros grandes nomes como Fernanda Montenegro e José Wilker também marcavam presença. Para culpar falhas que poderiam ter partido do script, da direção ou da equipe técnica a crítica caiu em cima da carne fresca: Adriana. É certo que ela não estava atuando perfeitamente, mas uma fagulha apenas não faz uma fogueira sozinha.

O resultado foi que a personagem aos poucos perdia espaço na trama para abafar um pouco. Todavia, ao fim do folhetim, Adriana Esteves entrou em depressão e chegou a cogitar largar a carreira, mas nada como um dia após o outro e ela interpretou a Zilda de Razão de Viver e depois voltou a Globo com força total à frente de A Indomada.

Hoje, os mesmos que a colocaram para baixo em 1993, tiram o chapéu para a perversa Carminha (Avenida Brasil, 2012) e a Dalva (Dava e Erivelto: Uma canção de amor, 2010). Assista a algumas cenas da Mariana de Renascer e da Carminha de Avenida Brasil.

Depois dessas cenas tensas da Carminha nós merecemos um break né? Daqui a quinze minutinhos eu volto com mais CLUB DRAMATURGIA!